Mercado de publicidade e comunicação pós-pandemia

A pandemia causada pela COVID-19 transformou o mundo e, junto com ele, a forma de fazer marketing e publicidade. Aquilo que era considerado primordial, de repente, passou a não ser mais. E, todas essas transformações significativas, devem seguir pautando mudanças na sociedade, em nosso modelo de trabalho e na forma como as marcas se comunicam.

Mesmo com todas as adversidades, um grande aliado das empresas durante toda essa mudança foi o Marketing Digital. De acordo com estudo realizado pelo MoneyTimes, o ano de 2020 registrou a maior alta em negociações pela internet das últimas duas décadas, cerca de 47% de crescimento. Ao todo, somente no primeiro semestre do ano passado foram realizados 90,8 milhões de pedidos, totalizando um aumento de 39% em comparação ao mesmo período de 2019.

Se observarmos todo o movimento da pandemia, nota-se que o crescimento do Marketing Digital foi uma consequência, uma vez que saber vender on-line passou de um diferencial para uma necessidade. As empresas que investiram no digital, seja redes sociais, anúncios patrocinados ou outros canais de aquisição, tiveram um aumento expressivo nas vendas. Alguns segmentos alcançaram um faturamento superior aos tempos normais, quando ainda não havia a imposição do lockdown, como foi o caso dos e-commerces.

A transformação digital na pandemia

O gigantesco aumento da busca de serviços digitais e on-line durante a pandemia mostra que a transformação digital tornou-se uma tomada de decisão fundamental para continuar competitivo no mercado. Aqueles que ainda mantinham os serviços da forma tradicional, como os pequenos comércios, se viram obrigados a mudar a forma de fazer negócio o mais rápido possível, ou sofrer as consequências de fechar as portas por tempo indeterminado.

Em pesquisa realizada pela KPMG, vimos que 67% dos entrevistados acreditam que a digitalização das operações teve avanço nesse período, colocando negócios meses e até anos à frente do que esperavam. Outras consequências que também passaram a ser conhecidas, como o aumento no número de pessoas trabalhando de casa — de acordo com um estudo da Fundação Instituto de Administração (FIA), o home office foi adotado por 46% das empresas durante a pandemia — e o largo uso de transmissões ao vivo e reuniões por vídeo e áudio.

Benefícios da transformação digital

As vantagens da adoção das novas tecnologias de comunicação e informação para uma organização empresarial são inúmeras. Principalmente, porque tais tecnologias auxiliam na redução de custos e otimização de processos. Entre os benefícios, podemos citar:

  • Flexibilidade e mobilidade
    Em estudo realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o IBOPE, 73% dos brasileiros preferem ter um expediente mais flexível, o que comprova a importância de tomar iniciativas que tragam esse diferencial para a organização.
  • Redução dos custos
    Com a utilização da automação, é possível reduzir os erros e falhas de segurança, diminuindo os retrabalhos e gargalos, o que também permite a redução de uma série de custos operacionais
  • Segurança
    Além do grande número de pessoas migrando para o on-line, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrou em vigor em setembro de 2020, ajudou a aumentar ainda mais a demanda por soluções de cibersegurança para armazenamento de documentos em nuvem e busca por soluções de segurança digital.

O pós-pandemia e o “novo normal”

Antecipar as tendências é fundamental para sair na frente e entender o novo cenário que nos espera. Todo o processo de adaptação que foi imposto sobre a sociedade desde março de 2020 nos trouxe a concepção de um “novo normal”, e isso quer dizer que mesmo após a pandemia, será preciso continuar se reinventando e aderindo novas estratégias comunicacionais.

  • Novas configurações dos espaços
    O home office se tornou a melhor opção para a sobrevivência operacional. Diante da adaptação dos profissionais, estruturas e demandas, é uma tendência que o trabalho remoto se torne comum mesmo no pós-pandemia.
  • Um novo jeito de consumir conteúdo exige novos jeitos de anunciar
    Com o aumento do consumo em podcasts e a popularização de novas redes sociais, surgem também novas oportunidades criativas. Nessas plataformas, por exemplo, as marcas procuram novas estratégias e táticas para se destacarem dos concorrentes.
  • Humanização das marcas
    Seja oferecendo melhores condições de pagamento, maior flexibilidade para fechamento de negócios ou maior investimento em ações sociais, humanizar marcas ajuda a alcançar mais pessoas, fidelizar seus clientes e alavancar a imagem da empresa.
  • O fortalecimento do comércio digital
    Com o isolamento social e, consequentemente, o aumento de compras on-line, diversos segmentos precisaram construir lojas digitais para não desaparecerem do mercado. Diante disso, surgem novas estratégias, ferramentas de e-commerce e maior exigência por profissionais competentes no assunto.

E a publicidade?

Com o mundo se transformando rapidamente, estar presente no mundo digital se tornou imprescindível. Se levarmos em conta o nosso atual cenário, a publicidade desempenhou um importante papel para que as empresas pudessem se comunicar de maneira mais direta e ágil com os consumidores durante as fases de isolamento social. Segundo pesquisa feita pelas empresas Smartly.io e a WBR Insights em 2020, de todas as marcas consultadas, 96% pretendem continuar o investimento feito em anúncios no Facebook, 61% no LinkedIn e 56% no Twitter.

O processo de Transformação Digital já começou. Ele é urgente, insubstituível e tem por objetivo principal trazer melhorias para os negócios. A eficiência dos processos, o trabalho mais centralizado e organizado, a satisfação dos clientes, as áreas interconectadas, a economia e a oportunidade de tomar decisões mais assertivas são os principais benefícios de aplicar a tecnologia em nossa rotina.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This