Identidade & Essência: um (re)encontro estratégico

Identidade & Essência: um (re)encontro estratégico

Novos tempos exigem novos olhares. Mudanças de rotas. Guinadas na direção. Ou ainda, um impulso para arriscar aquilo que já acordou em algum lugar. Mas notar e fazer algo sobre isso nem sempre é simples como escrever frases assim. No mercado de comunicação, a corrida contra o relógio acontece praticamente sem interrupção e, justamente por isso, estar vigilante para ampliar horizontes e eliminar padrões nocivos que estão impedindo a expansão é o que contribuiu para a saúde e para a longevidade dos projetos.

Quando falamos de estratégias e do desenvolvimento de um planejamento, mais ainda. E com esse objetivo fui buscar um refresco no evento Detox, realizado pelo Grupo de Planejamento, aqui em São Paulo. Mas, o que eu encontrei foi mais do que isso. Foi um momento de recolocação, um mergulho a fundo no papel de estrategista.

Eu poderia falar um pouco de cada uma das palestras que assisti, fazer um overview do que absorvi. Mas o que eu queria mesmo é dividir aqui o que me marcou profundamente e o que eu acredito que serve não só para quem trabalha com planejamento, mas para quem valoriza a sensibilidade na comunicação. Posso resumir a ideia em três palavras: retorno ao propósito.

A palestra era o Detox contra a bullshitagem na publicidade, a primeira que assisti. Afinal, mesmo com a evolução em nossa área, ainda carregamos o estigma de ludibriosos. Então, como combater esse rótulo e trazer uma identidade factível para nós e nossos clientes? A única saída possível é (re)encontrar a verdade da marca.

Sem oportunismo. Sem falsa representatividade. Sem mudar só para acompanhar tendências. As marcas têm uma função social, sim. São capazes de causar reflexões e impactar toda uma cadeia ao assumirem suas responsabilidades. E para fazerem isso, os comunicadores devem, sobretudo, saber ouvir. Jamais supor um sentimento, uma visão de mundo, sem ao menos conversar com quem a vive na pele. Mas o fato é que nem todas empresas estão prontas para isso. Tudo bem quanto a isso, desde que não forcemos a barra para fazê-las parecerem o que não são, em essência.

Inclusive, por falar em essência, todo este discurso casou imensamente com o planejamento mais recente que fizemos por aqui. O planejamento da própria Mantra. A agência comemora cinco anos de história e o momento é mais do que oportuno para um resgate genuíno de suas origens. Antes disso, no plano de rebranding de nosso cliente S.I.N. Implant System, tivemos a prova concreta de que encontrando a raiz da identidade de uma marca, tudo o que vem depois surge organicamente porque, de certa forma, já estava ali só esperando para ser revelado.

Mesmo estando em casa, o desafio não foi menos intenso. Pelo contrário. Exigiu dose extra de consciência, responsabilidade e entrega para encontrar esta tal essência. Pegamos o briefing, fizemos perguntas, ouvimos equipe e clientes. Fomos e voltamos algumas vezes em nosso racional. Esprememos o máximo que podíamos para que o extrato fosse somente A gota que sintetiza tudo. E quando finalmente encontramos, enxergamos o que já víamos por aqui ao longo desses anos. Aí, sim, temos verdade. Verdade que vem de pessoas, do ambiente, do trabalho e que deságua no propósito – o que representa tudo.

A partir disso nossos planejamentos que pedem este viés de redescoberta, de branding e de posicionamento, agora, carregam o nome de Identidade & Essência. Se falamos tanto de estratégia, nada pode ser mais efetivo do que marcas conscientes que se entregam, se reconhecem e se mostram como realmente são.

Agência Mantra | Natália Mota | Planejamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This